Mês Internacional das Bibliotecas Escolares – À descoberta do CRE

Ao longo do mês de outubro todas as turmas do 5.º ano realizaram a atividade À descoberta do CRE. Através de um jogo (CREÚtil), ficaram a conhecer os diferentes espaços da biblioteca, aprenderam a procurar diferentes tipos de documentos e realizaram simulações de pesquisa no catálogo.

E como se tratava de um jogo, foram atribuídos prémios aos vencedores.

Imagem9

Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza

Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO Por ocasião do Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza

17 de outubro de 2017

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável promete não deixar ninguém para trás e tem como objetivo a erradicação da pobreza até 2030. Por isso, precisamos que os governos tomem medidas rápidas que traduzam os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em políticas efetivas que sejam apoiadas pelos recursos apropriados. A Agenda 2030 é ambiciosa e precisamos de medidas igualmente ambiciosas para a pôr em marcha. A Agenda 2030 enfatiza a interdependência das dimensões social, económica e ambiental da erradicação da pobreza, por isso é necessária ação integrada em diferentes esferas políticas, tirando o maior partido das capacidades e recursos através de políticas objetivas que visem acelerar o progresso em todos os domínios. É aqui que reside a importância da liderança da UNESCO no avanço da cooperação através da educação, da ciência, da cultura, da comunicação e da informação. Em conjunto com as Prioridades Globais da organização – a Igualdade de Género e África – estas são as áreas com um impacto muito relevante na Agenda 2030 e funcionam como multiplicadores do desenvolvimento numa ampla gama de objetivos e metas. As capacidades devem ser combinadas com responsabilidade. Os planos nacionais para erradicar a pobreza serão mais eficazes se forem inclusivos e se integrarem as diferentes vozes de todos os setores da sociedade. O acesso a serviços básicos é essencial, tal como as capacidades e o conhecimento necessários, mas a erradicação da pobreza também requer uma maior participação de todas as pessoas, começando pelos mais jovens, cujo fortalecimento é a chave para o sucesso. A erradicação da pobreza é um imperativo dos Direitos Humanos – e também do desenvolvimento e da paz. É por isso que precisamos agir agora para que as promessas se tornem realidade. É esta a mensagem da UNESCO neste Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza.

Irina Bokova

Gabinete de Acolhimento Intercultural

Imagem3O Gabinete de Acolhimento Intercultural, inserido no projeto de integração Manta de Retalhos, pretende dar apoio aos alunos e encarregados de educação  provenientes de outros países. A população escolar totaliza 1958 alunos, 191 de nacionalidade não portuguesa. O Agrupamento é frequentado por 11% de alunos estrangeiros de diferentes nacionalidades, sendo a cabo-verdiana, a guineense e a brasileira as mais representativas.

Outubro – Mês Internacional das Bibliotecas Escolares

O tema eleito para a comemoração do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares é Conectando Comunidades e Culturas.

O tema escolhido alicerça-se nos objectivos da Agenda 2030 das Nações Unidas e no papel que as bibliotecas têm nas escolas. Estas podem contribuir para que os 17 objectivos do milénio para o desenvolvimento sustentável sejam atingidos, principalmente o objectivo 4 – Educação de qualidade, com vista a assegurar uma educação inclusiva, equitativa, de qualidade e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos. Neste ano, pretende-se desenvolver atividades que promovam a ligação entre comunidades de aprendizagem, sociais e culturais, em todo o mundo.

Dia da Biblioteca Escolar – 23 de outubro de 2017

O Dia da Biblioteca Escolar é celebrado na quarta segunda feira do mês de outubro.

Este dia tem como objetivo destacar a importância das bibliotecas escolares na educação, assim como promover o gosto pela leitura.

A data foi comemorada pela primeira vez em outubro de 1999.

Imagem8

Dia Internacional da Alfabetização

Mensagem da Diretora-geral da UNESCO por ocasião da celebração

Dia Internacional da Alfabetização – A alfabetização num mundo digital – 8 de setembro

 

As tecnologias digitais estão presentes em todas as esferas da nossa vida e configuram de maneira substancial o modo como vivemos, trabalhamos, aprendemos e sociabilizamos.

Estas novas tecnologias oferecem novas e amplas oportunidades para melhorar a nossa vida e nos conectarmos à escala mundial, mas também podem marginalizar quem carece de competências essenciais, como a alfabetização, e que tem necessidade de as utilizar.

Tradicionalmente tem-se considerado a alfabetização como um conjunto de competências relacionadas com a leitura, a escrita e a aritméticas aplicadas a um contexto determinado. Através dos meios digitais, as sociedades do conhecimento estão a transformar o que significa estar alfabetizado e exigem um novo nível, mais elevado, dessas competências. Ao mesmo tempo, a tecnologia pode contribuir, por outro lado, para melhorar o desenvolvimento da alfabetização.

Tudo isto deve entender-se num contexto mais amplo. Atualmente continuam a existir no mundo 750 milhões de adultos que carecem inclusivamente das aptidões mais básicas de alfabetização. 264 milhões de meninos e jovens não recebem educação escolar.
Além disso, pesquisas internacionais revelam que uma grande percentagem da população adulta e jovem de todo o mundo, inclusivamente, nos países em desenvolvimento, estão inadequadamente equipadas com as competências digitais básicas necessárias para funcionar plenamente nas sociedades de hoje bem como no local de trabalho. A redução desta lacuna de competências é um imperativo educacional e de desenvolvimento.

As tecnologias da informação e da comunicação encontram-se a criar novas oportunidades para fazer frente a este problema. As ferramentas digitais podem contribuir para aumentar o acesso à aprendizagem e melhorar a sua qualidade. Têm o poder de chegar aos que se encontram marginalizados, melhorar a monitorização do progresso e da alfabetização, facilitar a avaliação das competências e aumentar a eficiência da gestão e governança dos sistemas de ensino de competências.

Para criar e aproveitar novas oportunidades para levar adiante o Objetivo 4 do Desenvolvimento Sustentável sobre Educação e aprendizagem ao longo da vida para todos, precisamos da ação coletiva.

As parcerias entre os governos, a sociedade civil e o setor privado são hoje essenciais para promover a alfabetização num mundo digital. Considero a Aliança Global para a Alfabetização dentro de um Quadro de Aprendizagem ao Longo da Vida como um modelo dos esforços concertados que precisamos para avançar a agenda global e apoiar as iniciativas nacionais de alfabetização.

O Dia Internacional da Alfabetização é a ocasião para rever os progressos alcançados e de nos unirmos para enfrentar os desafios futuros.

Este ano, a celebração é dedicada a uma melhor compreensão sobre o tipo de alfabetização exigida num mundo digital para construir sociedades mais inclusivas, mais equitativas e sustentáveis. Todos devem poder aproveitar ao máximo os benefícios da nova era digital, dos direitos humanos, do diálogo e do intercâmbio, para um desenvolvimento mais sustentável.

Irina Bokova

Diretora-geral da UNESCO